sábado, 17 de agosto de 2013

As Fábulas: de onde elas vêm ? A galinha dos ovos de ouro. A Cigarra e a Formiga. O tigre e a raposa


As Fábulas
As fábulas são narrativas curtas, que   transmitem uma lição de moral. As personagens das fábulas são geralmente animais, que assumem características humanas representando certas atitudes e comportamentos próprios dos homens: o egoísta, o ingênuo, o espertalhão, o vaidoso, o mentiroso etc., com o objetivo de ensinar  valores e comportamento.  A fábula se divide em 2 partes: 1ª parte- a história (o que aconteceu); 2ª parte- a moral (o significado da história). 

ORIGEM: DE ONDE VÊM AS FÁBULAS?

As fábulas são criações muito antigas e faziam parte da tradição oral dos povos, sendo transmitidas de boca a boca, de geração em geração,  em locais públicos, como praças, festas populares ou salões de baile da época. O primeiro fabulista de renome foi  um escravo grego chamado  Esopo, que viveu no século VI  a. C. Para os gregos , ele é o fundador da fábula. Fabulista é uma pessoa que  conta ou escreve  fábulas, com a intenção de  ensinar, aconselhar, convencer, divertir,  criticar e, às vezes, fazer alguém desistir de um propósito ruim ou que não lhe seja favorável. 
Muitos escritores dedicaram-se às fábulas, mas três ficaram mundialmente famosos:o grego Esopo (século VI a.C.),o latino Fedro (15 a.C. - 50 d.C.) e o francês Jean de La Fontaine (1621 - 1695). No Brasil,Monteiro Lobato (século XX) foi quem as recriou. Millôr  Fernandes é um escritor carioca que recriou as antigas fábulas de Esopo e La Fontaine, de forma satírica e engraçada. 
Resumindo: A fábula é um texto narrativo onde as personagens, na maioria das vezes, são animais. Ela transmite como mensagem  uma lição que deve ser relacionada ao comportamento humano. No final  vem a expressão:  moral da história. 
 A seguir, conheça a famosa fábula de autoria do grego Esopo: A Galinha dos Ovos  de Ouro. 

A GALINHA  DOS  OVOS  DE  OURO
Um camponês e sua esposa possuíam uma galinha, que todo dia sem falta, botava um ovo de ouro.  Supondo que dentro dela deveria haver uma grande quantidade de ouro, eles  a sacrificaram, para enfim pegar tudo de uma só vez. 
Então, para surpresa dos dois, viram que a ave  em nada era diferente das outras galinhas.  Assim, o casal de tolos, desejando enriquecer de uma só vez, acabou  por perder o ganho diário que já tinham assegurado.
Autor: Esopo
Moral da História:
excesso de ambição, leva à precipitação e, quem tudo quer tudo perde.

Vamos praticar ? Responda as questões abaixo: 
1) O tema  principal  da história é:     
a.  ( ) esperteza          b.  ( ) ganância      c. ( ) ignorância  d. ( ) maldade
2)  O fazendeiro acreditou que dentro da galinha havia:                   
a. ( ) ouro     b. ( ) dinheiro          c. ( ) prata          d. ( ) um grande tesouro
3) O texto “A Galinha dos ovos de ouro” é :                                     
a. ( ) uma carta   b. ( ) um conto de fadas   c. ( ) uma fábula 
d. ( ) um  anúncio   4) Quem é o autor dessa fábula e qual o seu país? 

Conheça outras fábulas: 
A Cigarra e a Formiga

A formiga trabalhou
durante o verão 
A cigarra passou todo o verão cantando, juntando seus grãos. 

Quando chegou o inverno, a cigarra veio à casa da formiga pedir que lhe desse o  que comer. A formiga então perguntou a ela:

- E o que é que você fez durante todo o verão?

- Durante o verão eu cantei – disse a cigarra.

A Cigarra cantando, enquanto
a formiga  trabalha
E a formiga respondeu:

- Muito bem, pois agora dance!

Autor: Esopo. Recontada por  Jean La Fontaine
Adaptação da fonte: ROCHA, Ruth. Fábulas de Esopo. São Paulo: FTD, 1993.
Cigarra

Moral da História:  
Devemos  cumprir nossas obrigações, para  evitar tristezas  e perigos. 
Diz o provérbio: primeiro a obrigação, depois a devoção. 

Vamos praticar ? 1) Qual é  o título dessa fábula?          2) Quantos e quais são seus personagens  ?    3)  Você costuma fazer suas tarefas escolares antes de ir brincar ou assistir TV ? Compare suas atitudes com as dos personagens dessa história.   
Formigas devorando as plantas
4) Você gostou do final da história?  Que defeitos e qualidades você observou nos personagens ?   Tente escrever  um final diferente, de acordo com o seu entendimento e suas idéias.  Não se esqueça de ilustrar a história com desenhos.

O tigre e a raposa

Em um dia de chuva, um tigre corria à procura de abrigo, quando encontrou uma raposa que estava toda folgada em sua toca. O tigre perguntou:
__Dona raposa, será que eu poderia ficar aí com a senhora?
A raposa foi abrindo a porta, pois o tigre realmente estava todo molhado, mas pensou melhor e disse, esnobando-se:
__Rá, rá, rá!!! É claro que não sou estúpida! De onde você tirou essa idéia?
Ela ria tanto do estado do tigre que ele ficou uma fera, ou melhor, já era uma... O animal então, muito bravo, falou:
Tigre
__Não me obrigue a ficar violento!
Raposas
Nesse instante, a toca que estava cai, não cai, foi ao chão. A raposa ficou numa situação de dar dó. Sem proteção e com um tigre ali por perto, o melhor era dar o fora rapidinho...
Moral da história: Quem ri por último, ri melhor.

Provérbios  -  Provérbios são  frases curtas e populares, que trazem um ensinamento moral. Exemplo:

Quem tudo quer nada tem.

Você conhece outros provérbios ? Pergunte aos familiares e amigos. Escreva aqueles que você mais gostar, no seu caderno. 

Vamos praticar ?   Peça teatral com fábulas. 

Forme uma  dupla. Escolha  uma das   fábulas.  Cada  dupla  apresentará  para a turma a sua fábula, destacando: a) o título    b) nome dos personagens; c)  resumo do enredo da história.

Você pode  fazer uma bela apresentação teatral  usando fábulas

Sugerimos  a  construção coletiva   de  um texto para  apresentação de uma peça teatral, que  será a reescrita de uma fábula (todos os alunos da turma,   juntos com o professor).  
Sugestão: a galinha dos ovos de ouro. Mãos à obra !  Sucesso ! 

Referências
Origem das fábulas
http://pt.scribd.com/doc/15014403/Significado-das-Fabulas
ROCHA, Ruth. Fábulas de Esopo. São Paulo: FTD, 1993.
Todas as imagens são do Google. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não serão aceitos palavrões nem ofensas.