quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Cultura Hispânica. A Festa do Dia dos Mortos no México (La Fiesta del Día de los Muertos en Méjico). Origem e História de La Catrina (a caveira). Vídeos, Músicas e animação com Thriller, de Michael Jackson

(Catrinas - Caveiras)


"A  morte é  democrática já  que no final das contas, todos  acabam  sendo caveiras".  

José Guadalupe Posada (1852-1913),
caricaturista mexicano e   criador de 'La Catrina' (a caveira).

O México é um país hispânico, ou seja, de língua e cultura espanholas, situado
na América do Norte, vizinho aos Estados Unidos. Sua cultura é diversificada, influenciada pelos povos que lá vivem há séculos, antes mesmo  da chegada dos europeus,  africanos e asiáticos, como os antigos Maias e Astecas, Civilizações que em muitos aspectos superavam os europeus, quando lá chegaram a partir do  século XVI. 


Um dos pontos que mais chama atenção no México é uma animada Festa de Celebração do Dia dos Mortos (El Día de los Muertos, em espanhol), cujos preparativos ocorrem  semanas antes da celebração nos dias 1º e 2 de Novembro, coincidindo com o Dia de Todos os Santos e o Dia dos Fiéis Defuntos ou Dia de Finados, para os católicos. 

A data em que os mortos são homenageados,  origina-se da Cultura Asteca, que a celebrava no 9º mês do calendário solar. O culto era sempre presidido pela Dama da Morte, esposa de Mictlantecuhtli, o Rei dos Mortos.

Clique sobre as imagens para ampliar.

Caveirinhas de açúcar


No México, as pessoas acreditam que nesse  período, os mortos  retornam para visitar seus parentes, sendo  recebidos com músicas,  danças, comidas especiais,  doces,  bolos e as já tradicionais caveirinhas de açúcar, as preferidas dos mais jovens.


A tradição mexicana se espalhou pelos Estados Unidos e países da América Central, onde vivem mexicanos.   A data foi declarada Patrimônio da
Humanidade  pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). 

Mexicanos no cemitério  homenageando  seus  mortos.

Para os mexicanos, a morte representa a passagem para um outro mundo onde só existe alegria e fartura. Então, a saudade é amenizada com flores coloridas, danças, comidas especiais, velas, incensos e doces. Cada casa arruma seu altar com fotos dos seus mortos e oferendas. As pessoas usam suas melhores roupas ou se vestem como se também já tivessem morrido. 
Altar com muita comida 



Origem e História de La Catrina. O que é La Catrina. "La Calavera Garbancera"

La Catrina (a caveira) - é a imagem da caveira de uma mulher enfeitada nas cores e vestimentas mexicanas, dos anos 1920. A caveira se transformou  no  símbolo oficial da morte no México, integrando seu folclore.  

 A versão original é uma gravura em metal com o nome “La Calavera Garbancera" (a caveira vendedora de grão de bico – livre tradução), de autoria do caricaturista mexicano José Guadalupe Posada.


Trata-se de uma representação satírica e metafórica de José Guadalupe, numa crítica ao estilo de vida dos mexicanos ricos, que renegavam sua origem indígena, herança e cultura, imitando o estilo de vida europeu, notadamente dos  espanhóis e franceses.

Garbanza significa grão de bico, leguminosa comestível. Garbancero(a) era como eram chamadas as pessoas que vendiam essa leguminosa, naquela época.

"En los huesos pero con sombrero francés con sus plumas de avestruz".

(Aos ossos, mas de chapéu francês com plumas de avestruz - tradução livre) 


"Sueño de una tarde dominical en la Alameda Central". Tela de  Diego Rivera, 1947.  Imagem
A tela fala da história do México, onde Frida kalo, que foi mulher de Diego Rivera, também é retratada ao lado da catrina. 
Na tela, a caveira é apresentada vestida, pela primeira vez, estando acompanhada  de seu criador: o caricaturista mexicano José Guadalupe Posada (1852-1913)
Foi o muralista Diego Rivera quem chamou a caveira de  "Catrina",  nome com o qual ficou famosa no México e no mundo inteiro. 

'La Catrina' representaba en forma de burla (zombaria) a la 
gente de sangre indígena que pretendía ser europea 
Isto é o que todos nós seremos: apenas caveiras, independente da raça, cor, posições  econômica, social...

Texto e imagens adaptados de: Marco Daniel Guzmán. Disponível em: 


No vídeo abaixo,  algumas obras de artes populares inspiradas no Dia dos Mortos, ao som de la canción de las calaveras (música das Caveiras),  
do Grupo Scherzo que diz: 

“Ao bater a meia-noite, as caveiras vão passear…“ (tradução livre). 

https://www.youtube.com/watch?v=ZpqoO7LkgF0

Veja a animação com a música Thriller, de Michael Jackson
 https://www.youtube.com/watch?v=ZhflzGDiDIM

Sites Consultados:
Marco Daniel Guzmán 
http://www.viajabonitomx.com/2013/10/la-catrina-de-donde-vino-esta-bella-dama.html
http://www.taringa.net/posts/noticias/18238558/Dia-de-Muertos-Mejicano-Entra-y-conocelo.html
http://www.taringa.net/post/ciencia-educacion/19015300/Origen-e-historia-de-La-Catrina.html
Dia dos Mortos
Artes e ideias por Debora Canbé. Obvious. Disponible en:
Traducciones Agora. Méjico. ¿Cómo se escribe?  
 https://www.agorafs.com/mexico-o-mejico/
Significados: Maias, Astecas e Incas
https://www.significados.com.br/incas-maias-e-astecas/

TODAS AS IMAGENS SÃO DO GOOGLE

2 comentários:

Não serão aceitos palavrões nem ofensas.