quarta-feira, 23 de março de 2016

Da Família Patriarcal às Novas Concepções de Famílias na Sociedade Atual.Conheça 14 Tipos de Famílias.Poligamia, Monogamia, Poliginia, Poliandria e Sociedades Matrilineares.Atividades

A família é a mais antiga instituição social e ao longo da evolução humana sofre mudanças na sua estrutura, configuração, organização e nos papeis de seus membros. Tais mudanças foram aceleradas  a partir da década   de 60, segunda metade do século XX, onde se constata mudanças que vão da família patriarcal ás novas concepções de famílias da sociedade atual. 

                                               Tarsila do Amaral (1925) - "A Família" . 
O quadro de Tarsila mostra família de pretos e mulatos da zona rural brasileira, com alguns objetos e animais. Denuncia a desigualdade social no Brasil, principalmente entre os afro-descendentes; a insatisfação  deles com práticas de trabalho escravo. 

O termo “família” é derivado do latim famíliae - conjunto de escravos e servidores que viviam sob a jurisdição do pater família. Com sua ampliação tornou-se sinônimo de Gens que seria o conjunto de agnados (os submetidos ao poder em decorrência do casamento) e os cognados (parentes pelo lado materno). O termo foi criado na Roma Antiga para designar um novo grupo social que surgiu entre as tribos latinas com a  agricultura e a prática  da escravidão legalizada.
É o nosso primeiro espaço  educativo. É nele que aprendemos a exercer nossos papéis primários e a  socialização.  É no seio familiar que se faz a transmissão de valores, costumes e tradições entre gerações.

Família nuclear: o pai, a mãe e os filhos

Todas as famílias têm suas próprias histórias, sejam elas de sucesso ou de dificuldades. Nenhuma vive num mar de rosas, mas todas devem aprender a lidar e superar as provações,  que servem para  nos ajudar a crescer espiritualmente.  É  o núcleo de apoio para qualquer um dos  seus membros, seja na alegria ou na doença. 
Ao longo da história da humanidade prevaleceu a organização familiar comandada pelo modelo matriarcal,  ligada ao vínculo sanguíneo, biológico e instintivo da mãe para com o filho, onde a mulher se destacava por sua autoridade.   Depois surgiu o modelo da família patriarcal, onde a autoridade  arbitrária  e inquestionável do homem, prevalecia
Na Roma antiga, a família era organizada em função do princípio da autoridade do  pater (pai em latim), que  era ao mesmo tempo chefe político, sacerdote e juiz, impondo-lhes pena corporal. A mulher vivia subordinada a esta autoridade.

Logotipo gay
A sociedade atual tem como foco a internacionalização dos Direitos Humanos às normas de direito interno, dando lugar a questões como:  igualdade de gênero; a democratização de uniões livres;  a reconstrução do parâmetro parenta;  a socioafetividade;  a inseminação artificial  e  as uniões homoafetivas, modificando  o conceito tradicional dos modelos de famílias. 
Novos "arranjos" e "composições" familiares mudam  conceitos e pré-conceitos estabelecidos ao longo da história.  Os diferentes tipos de famílias na sociedade atual são formados não por laços de consanguinidade, mas por laços afetivos independente de sua organização. Ao modelo tradicional somam-se muitos outros e não é possível afirmar se são melhores ou piores, apenas diferentes do convencional.

Sendo uma instituição social decisiva para o desenvolvimento, a  família desempenha papel fundamental  na relação com seus membros e com o Estado (o governo). Forma um grupo social uno, cada um com um papel atribuído,que embora  diferenciados,
consubstanciam o funcionamento do sistema como um todo. O conceito de família está relacionado aos papéis e funções de seus membros, expectativas de comportamentos,obrigações e direitos.
Família  homoafetiva

Em todas as famílias cada membro ocupa determinada posição: marido, mulher, filho ou irmão, avô, avó, tio, tia, primo, prima... As expectativas de comportamento, obrigações e direitos estão associados à  posição na família ou no grupo social. Exemplo: o pai = chefe da família; mãe = tarefa de cuidar dos filhos e da casa; filhos = obediência.

O surgimento desses  novos modelos familiares resultam da inserção massiva da mulher no mercado de trabalho, das novas relações entre os sexos, do aumento do número de separações e divórcios; perda de prestigio da religião  e crescentes modificações na família a partir da década de 60.  Diante deste quadro, surgem novas perspectivas de direitos e de  exercício da cidadania.  

Identificamos diversas formações familiares nos dias de hoje, e que recebem as mais variadas nomenclaturas (nomes). Essas novas formações diferem da  família nuclear tradicional, formada pelo pai, a mãe e os filhos.    Vamos conhecer: 



TIPOS DE FAMÍLIAS  


1. A FAMÍLIA PUNALUANA -   É considerada um dos primeiros progressos da organização da família. A família punaluana substituiu a família consanguínea, que permitia relações sexuais entre irmãos carnais, prática dos primeiros humanos,  quando não  havia outras alternativas, nem existia a preocupação com herança,  pois não havia acumulação de bens e riquezas e a paternidade era desconhecida.  Essas uniões eram grupais e havia imprecisão ou dúvida  da paternidade dos filhos.

O termo punaluana vem de “punalua” que significa  “companheiro íntimo”. A partir dessa nova ordem familiar surgiram outros termos de parentesco: sobrinhos e sobrinhas, primos e primas. A família punaluana foi substituída pela Família Sindiásmica, que se  caracteriza pela extinção da união grupal, onde cada mulher  passou a se relacionar com apenas um homem, devendo-lhe  respeito e fidelidade. A infidelidade conjugal, no entanto, passa a ser admitida apenas para os homens. Foi o primeiro passo para a  relação monogâmica para as mulheres,  enquanto os homens continuavam seus relacionamentos poligâmicos.

2. FAMÍLIA MATRIARCAL - O MATRIARCADO  - o matriarcado surge num momento  da história no qual a civilização já se encontrava em uma etapa adiantada. O poder era exercitado pelas mulheres, particularmente pelas mães do grupo. A expressão vem do latim  mater  ‘mãe’, e do grego archein =  ‘governar’ =  governo da mãe. Estava presente em quase  todos as partes do Planeta. Associa-se à fase do sedentarismo,  com o aparecimento da agricultura e a domesticação dos animais. O matriarcado  foi um período culturalmente rico,  conhecido como a Era das Deusas, marcado  pela solidariedade e  pelo respeito à vida.


Matriarcado, Poligamia, Monogamia, Poliginia, Poliandria. Sociedades Matrilineares

O matriarcado caracteriza-se pela matrilinearidade – modalidade parental na qual as gerações que se sucedem são identificadas pela linha maternal – e pela matrifocalidade – onde  a gestão doméstica e familiar é realizada pelas mulheres. 

Numa sociedade matrilinear  o poder é passado aos descendentes pela via feminina, ou seja, de mãe para filha.  Portanto, o sistema de parentesco se organiza  através da linhagem materna (matrilinear). Ex.: Nice, filha de Ana, neta de Antônia...   Nesse tipo de  sociedade, os sobrenomes são passados pela mãe, e não pelos pais, como no Brasil, cujo sistema  é patrilinear. 

Poligamia  é um termo de origem grega,  que consiste no casamento com mais de uma pessoa, ou seja, o homem tem mais de uma mulher ao mesmo tempo, e embora  menos comum,  a mulher  também  tem mais de um marido ao mesmo tempo.  Poligamia é o oposto de monogamia.

Poligamia não significa  ter amantes, ou seja, um indivíduo possui outro relacionamento fora do casamento, seja homem ou mulher, e  um dos parceiros não sabe, que no caso fica caracterizado como adultério.  No sistema da poligamia, todos os envolvidos aprovam, sendo inclusive,  permitido por algumas religiões e até mesmo pelas leis  de alguns países. 

Poliginia  - quando o homem  possui várias mulheres, o mais comum  de acontecer. Constitui-se  prática  de  poligamia

Poliandria - quando a mulher é casada com vários homens, fato muito menos comum de acontecer. A Poliandria (poligamia feminina) é mais frequente em sociedades matrilineares.

3. POLIGAMIA  MASCULINA E FEMININA -  Poligamia significa união conjugal de uma pessoa com várias outras,  costume socialmente aceito em certas sociedades que permitem esse tipo de união.  Por  incrível que pareça, é perfeitamente legal ter várias esposas em mais de 50 países. Em outros 20, a poligamia não está nas leis, mas é culturalmente aceita. A maioria dessas nações está na África, região de forte concentração da religião muçulmana. 
O livro sagrado dos muçulmanos, o Alcorão, permite ao homem ter até quatro esposas, limite que foi "copiado" por boa parte das legislações favoráveis à prática. Mas, no mundo todo, a poligamia está desaparecendo, com a disseminação da noção de igualdade entre os sexos e da  forte influência do cristianismo e da cultura moderna ocidental.

4.   FAMÍLIA PATRIARCAL -  é aquela em que o chefe de família é o  pai,  o patriarca com poderes absolutos sobre seus membros. Admitia  o casamento de um só homem com diversas mulheres.   Era o modelo de família do Brasil Imperial (1822 a 1889),perdurando até a década de 60, quando ocorreu a chamada revolução sexual, com o uso da pílula anticoncepcional. 

5FAMÍLIA EXTENSA OU  AMPLIADA -  modelo de família onde parentes diretos ou colaterais de várias gerações vivem juntos,  ligados por vínculos consanguíneos, existindo uma extensão das relações entre pais e filhos para avós, pais e netos.  Formam  uma rede familiar que liga  consanguíneos, aliados e descendentes, de pelo menos  três gerações, em geral por meio de uma  unidade doméstica: a propriedade da terra,  das habitações e a direção econômica, tudo  controlado  por  um chefe, comumente o mais velho.

O artigo 25, parágrafo único, da Lei 12.010/09, que trata da reforma do Estatuto da Criança e do Adolescente introduziu a  família extensa ou ampliada como sendo um tipo de  família natural, distinta da família substituta. Diz:


“ Entende-se por família extensa ou ampliada aquela que se estende para além da unidade pais e filhos ou da unidade do casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou o adolescente convive e mantém vínculos de afinidade e afetividade”.

6. FAMÍLIA  NUCLEAR -  É o modelo padrão surgido no contexto da Revolução Industrial, com a entrada da mulher no mercado de trabalho. É formada por dois adultos de sexos diferentes (um homem e uma mulher): o pai, a mãe e os filhos nascidos do casamento, da união estável ou adotivos. Com o aumento da população da zona  urbana  a família extensa formada pelos parentes e agregados,  foi substituída por essa nova modalidade.  É a família ocidental moderna, monogâmica. Segundo o IBGE é o modelo que predomina na sociedade brasileira. Também podemos afirmar que  pela  clássica organização da família brasileira,  ela é conservadora, monogâmica e heterossexual, ou seja, formada por um homem e uma mulher.
Brasil Império:  Família patriarcal brasileira (século XIX)
7. FAMÍLIA MONOGÂMICA - baseada no casamento  de casais individuais, com obrigação de coabitação exclusiva,ou seja,  relação sexual com um só homem e uma só mulher

8. FAMÍLIA  MONOPARENTAL formada por qualquer dos pais e seus filhos. Resulta da chamada  produção independente ou separação dos cônjuges, morte e abandono, podendo ser biologicamente constituída e por adoção.  Na maioria dos casos, a família é chefiada pela mãe, mas tem aumentado o número de homens que chefiam sozinhos a casa. 

FAMÍLIA MONOPARENTAL FEMININA - grande numero de mulheres chefiando suas famílias sozinhas  tem chamado atenção dos estudiosos, considerando suas particularidades. Ser  uma mulher chefe de família monoparental é uma tarefa difícil,considerando as questões de gêneros nas sociedades atuais. 

9. FAMÍLIA SUBSTITUTA - Segundo a  legislação   brasileira atual  é a instalação da criança ou adolescente abandonado ou  que perdeu sua família natural, passando ao abrigo de  uma família que se doa com presteza a receber um novo membro em seu lar,  proporcionando-lhe uma vida digna.

10. FAMÍLIA ALTERNATIVA - Dividida em famílias homossexuais e família comunitárias, sendo nesta o papel dos pais e da escola descentralizado como ocorre nas famílias tradicionais.  Todos os adultos são  responsáveis pela educação e criação das crianças e adolescentes. A família homossexual, formada por  um casal do mesmo sexo que vivem juntos,  tendo filhos adotados ou biológicos de um dos parceiros ou de ambos.

11. FAMÍLIA SÓCIO-AFETIVA - Consolidada como um novo elemento do Direito Brasileiro contemporâneo, quando declarada a convivência familiar e comunitária; a não discriminação de filhos; a corresponsabilidade dos pais quanto ao exercício do poder familiar e o núcleo monoparental, considera que os vínculos de afeto se sobrepõem à verdade biológica, obrigando  os pais a uma "paternidade responsável"          
                                                            
12FAMÍLIA MODERNA – Com a valorização da mulher no mercado de trabalho,  filhos sob a responsabilidade de avós ou  babás, com papeis  confusos e sustento da casa compartilhado, fazendo surgir os novos modelos de famílias atuais. Nesse modelo de família, o pai perde o autoritarismo  e a mãe deixa de cuidar única e exclusivamente da casa e dos filhos,  competindo com o homem. Com isso, todos que compõem a família passam a ter influência dentro dos lares, expondo suas opiniões, participando efetivamente, com base no respeito, no amor, na afetividade, no carinho, na atenção.

13.  FAMÍLIA  RECASADA  OU  RECONSTITUÍDA   tem  por base uma nova união. Novos membros são agregados ao contexto da Família (padrasto/ madrasta; enteado/enteada); Exemplo: Pai separado com filho casa-se com uma mulher que também já tem  filho;
“Mãe, porque a minha amiguinha tem dois pais e eu não?”

14.   FAMÍLIA  HOMOAFETIVA - sendo que no Brasil foi regularizada pelo  Projeto de Lei PL1151, que legalizaria a união civil entre iguais. No Brasil a União Homoafetiva foi regulamentada pelo  Projeto de Lei PL1151, que legaliza a união civil entre iguais. Os casais homossexuais têm os mesmos direitos e deveres que a legislação brasileira já estabelece para os casais heterossexuais. “o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo será permitido e as uniões homoafetivas passam a ser tratadas como um novo tipo de família”;

Amplie seus conhecimentos. Clique no link abaixo: 

Alfabetização. O Livro da Família: a nova composição e os novos conceitos de família. Retratando a diversidade humana no século XXI. Biografia do autor Todd Parr. Atividades

A Sociologia e seu objeto de estudo. Os Pais da Sociologia. Sociedade e indivíduo. Quando nasce a ideia de individualidade? Atividades 

http://loucosportecnologias.blogspot.com.br/2016/03/a-sociologia-e-seu-objeto-de-estudo-os.html 

Atividades 
Releia as informações para responder o que se pede. 
1. O que é família para você ? 
2. Escreva no seu caderno todos os tipos de famílias aqui relacionadas. Fale sobre cada uma delas. Valor: 2 pontos.  
3. Forme 05 grupos. Junto com o professor escolha os tipos de famílias que sua equipe irá apresentar no debate em sala de aula. Valor:  2 pontos. 
4. Fale sobre a família matrilinear. Dê exemplos de famílias matrilineares da antiguidade e da atualidade. 
5. Qual foi o tipo de família que você não conhecia e que lhe chamou atenção? Comente.

6. Leitura de Imagem. Observe a obra da artista plástica brasileira Tarsila do Amaral, no início desta postagem. Escreva um texto de até 10 linhas sobre o temática  abordada. 


Sites consultados
Âmbito Jurídico. Família-Considerações gerais e historicidade no âmbito jurídico
http://www.ambitojuridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=8845

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não serão aceitos palavrões nem ofensas.